Artista. Formação acadêmica em medicina. Fundador e diretor de criação e estilo da Osklen. Diretor criativo da OM.art, seu estúdio de arte e projetos especiais. Sua constante necessidade de experimentação e um estilo de vida conectado ao urbano, à natureza e às artes, são as principais fontes de inspiração para o seu processo criativo.

Oskar Metsavaht é reconhecido internacionalmente como um dos precursores do Novo Luxo, conceito que defende a moda consciente, o luxo sustentável. Para ele, “uma marca é identificada como luxo por lidar com valores considerados nobres. E a nobreza passa pela preocupação social e a preservação dos recursos naturais para as próximas gerações”.

A sustentabilidade sempre esteve em pauta nos seus projetos e faz parte da trajetória da Osklen. No início dos anos 2000, lançou o E-brigade, movimento de sensibilização e disseminação da informação ambiental que transforma conceitos em atitudes. Em um estudo promovido pela World Wildlife Fund (WWF-UK), Oskar foi apontado - junto com Elon Musk da Tesla - como “Future Maker” e é frequentemente convidado para participar como palestrante sobre o tema em conferências mundiais, como a Milano Fashion Summit e o Ethical Fashion Paris. A convite da editora de moda Anna Wintour, da Vogue americana, Oskar também participou do evento Runway to Green, que reúne as maiores marcas do mundo em torno da sustentabilidade.

Oskar é fundador do Instituto-e, onde são desenvolvidos projetos como o e-fabrics que, em parceria com empresas, instituições e centros de pesquisa, identifica tecidos e materiais desenvolvidos a partir de critérios socioambientais, como couro de peixes, fibras de juta amazônica e de palha de seda, além de látex, algodão orgânico, dentre outros.

Em 2011, a Osklen recebeu, em Londres, o título de "Emerging Luxury Brand of the Year" e Oskar foi apontado pela revista Fast Company como a quarta pessoa mais inovadora do Brasil, além de uma das 100 pessoas de negócios mais criativas no mundo. No mesmo ano, foi nomeado Embaixador da Boa Vontade da UNESCO, e um dos speakers durante o International Herald Tribune Hot Luxury event. Ainda em 2011, foi um dos palestrantes do SWU, ao lado de Neil Young e Bob Geldof, entre outros, e indicado como Membro do Conselho Consultivo do Inhotim, em Minas Gerais – um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil e considerado o maior centro de arte ao ar livre da América Latina.

Em 2012, Oskar Metsavaht foi convidado pela UNESCO para ser seu representante oficial na Rio+20, e, através do Instituto-e, idealizou o Prêmio-e, uma premiação oficial do evento com foco em sustentabilidade, que homenageou algumas das mais importantes iniciativas socioambientais desenvolvidas nos últimos 20 anos, desde a ECO 92.

Ao lado de nomes como Arcade Fire, Chris Milk e Takeshi Murata, Oskar foi convidado para integrar o elenco do “The Creators Project”, projeto mundial da VICE em parceria com a Intel, que visa reunir os artistas mais expressivos das áreas de arte, design, moda e música.

No ano seguinte, a Osklen foi citada em duas publicações internacionais de destaque. No livro "L' Orizzonte degli Eventi" ("O Enigma do Horizonte"), do professor italiano Fabriano Fabbri, Oskar Metsavaht é mencionado como um dos designers para ilustrar o grupo de artistas criativos no sentido mais puro. Já o “Global Luxury Trend”, de Jonas Hoffmann e Ivan Coste-Manière, tem um capítulo inteiro dedicado à Osklen e a Oskar, falando do conceito de novo luxo proposto pela marca.

Em 2014, a convite do governo da Califórnia, Oskar fez a sua primeira exposição fotográfica no Brasil. ‘In California’ mostrou o seu olhar conceitual sobre lugares ícones do estado americano, como Venice Beach, Santa Monica, Malibu e o deserto Vasquez Rocks. Ele também já expôs os seus trabalhos em Miami, na Quintenz Gallery, em Aspen; e no Centro Cultural Recoleta, em Buenos Aires.

No mesmo ano, Oskar realizou uma imersão criativa em Inhotim. Essa experiência originou a instalação ‘Interfaces‘, que foi exibida na mostra ‘Made by... Feito por brasileiros’, na Cidade Matarazzo, em São Paulo. A exposição marcou a inauguração do espaço e reuniu obras de artistas brasileiros como Tunga e Vik Muniz. Inhotim também foi a inspiração da coleção de verão 2015 da Osklen. Ainda em 2014, ele foi condecorado com a Ordem ao Mérito Cultural. A premiação é concedida a personalidades e instituições que prestam contribuições à cultura brasileira.

No ano seguinte, depois de passar por uma imersão criativa na tribo Ashaninka, no Acre, Oskar lançou uma coleção inspirada na cultura e estética da comunidade indígena. Por essa coleção, ele recebeu uma honrosa crítica da renomada jornalista britânica Suzy Menkes. Oskar também foi um dos artistas da Ocupação Mauá, na ArtRio, apresentando a videoinstalação interativa ‘Interfaces ll – Man // Cosmos // Forest’.

Em 2016, apresentou a exposição ‘Cristo Redentor por Oskar Metsavaht’, que marcou a reinauguração do Museu Histórico da Cidade, no Rio de Janeiro. O monumento do Cristo e sua história ganharam uma leitura contemporânea através de fotos, pinturas e videoinstalações. Oskar ainda apresentou a coleção Monbupurih, no primeiro desfile realizado na área externa do Museu do Amanhã.

Em 2017, a exposição ‘Ipanema por Oskar Metsavaht’ ocupou a Casa de Cultura Laura Alvim com pinturas, instalações, projeções e fotografias que revelam o olhar do artista sobre o bairro carioca. Ao longo da mostra, o Instituto-e promoveu o “Re-ver Ipanema”, com debates e oficinas de criatividade.

Ainda em 2017, Oskar foi palestrante do painel “How to sell Brazil”, no Brazil Conference, em Harvard. Ele também foi convidado pela New York University para participar do “Sustainability of Ethical Fashion in our Brave New World”, evento que discute moda e sustentabilidade. Em junho, Oskar discursou na primeira Conferência Mundial dos Oceanos, na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque. Representando o Brasil e os países do Atlântico Sul, Oskar abre a discussão sobre a construção do SAWS - South Atlantic Whale Sanctuary - um santuário para baleias na região, que reúne Brasil, Argentina, Gabão, Uruguai e África do Sul.

A participação de Oskar Metsavaht no exercício criativo do filme ‘Soundtrack’, dirigido pela dupla 300ml e protagonizado por Selton Mello, Ralph Ineson e Seu Jorge, foi o ponto de partida para a construção do Inverno 17 da Osklen. O filme e a coleção foram construídos ao mesmo tempo, em um desenvolvimento inédito de criação. O projeto também originou a exposição ‘Soundtrack por Oskar Metsavaht’, no Museu da Imagem e do Som, em São Paulo. Oskar assumiu o olhar do personagem Cris, vivido por Selton Mello, e trouxe para a realidade o projeto final do artista.

A coleção de verão da Osklen para 2018 é inspirada na obra de Tarsila do Amaral. A ideia surgiu a partir de um convite da família da artista, que colocou à disposição de Oskar Metsavaht e sua equipe de estilo as obras e detalhes da história da maior representante feminina da arte brasileira no séc. XX. Mais uma vez explorando a comunicação entre moda e arte, Oskar capturou a alma visionária de Tarsila, que, através de suas obras, ícones do Movimento Modernista Brasileiro, expressou o legítimo Brazilian Soul, explorando a diversidade étnica e cultural do Brasil de uma forma pessoal e perspicazmente inserida na estética do movimento artístico modernista europeu. Após ser lançada no Brasil, durante a última edição da SPFW, a coleção segue para o exterior, em fevereiro de 2018, ao mesmo tempo em que uma mostra sobre a modernista aporta no MoMA, em Nova York.

[sobre a Osklen]
Oskar Metsavaht criou a Osklen em 1989, com a proposta de oferecer uma visão original do estilo de vida brasileiro contemporâneo, e hoje apresenta suas coleções no SPFW e na Semana de Moda de Nova York. A marca possui 53 lojas próprias e 22 franquias no Brasil, além de lojas em Nova York, Miami, Tokyo, Mykonos e Punta del Leste.
www.osklen.com.br

[sobre OM.art]
A OM.art surgiu como um espaço experimental com conteúdos de reflexão contemporânea sobre arte, ciência, política, economia e filosofia, por meio do olhar dos curadores e de intelectuais convidados.
Sua sede tem inauguração prevista para dezembro, onde ocupará o cluster de arte Vila Portugal, no Jardim Botânico, Rio de Janeiro.
www.om.art.br

[sobre o Instituto-e]
O Instituto-E é uma OSCIP - Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – que acredita que compartilhar informações é o primeiro passo para promover o desenvolvimento humano sustentável. A partir dessa concepção e do desejo de inovar, recorre a uma linguagem alternativa e multimídia para canalizar a energia da sociedade e direcioná-la para a defesa da nossa biodiversidade, do direito à informação e à educação e do patrimônio histórico e cultural do Brasil. O Instituto-E visa cumprir sua missão por meio da criação e gestão de uma rede que potencialize sinergias entre diferentes iniciativas e agentes da sociedade. Sua atuação se concentra nas áreas que compõem o ideário dos seis “e”s: earth, environment, energy, education, empowerment e economics.
www.institutoe.org.br